Alimentos industrializados e seus malefícios


‘Nem tudo que reluz é ouro’


Nem tudo o que parece ser realmente é. Assim são os alimentos industrializados e seus malefícios que apesar de promessas sedutoras pela praticidade e economia, trazem danos à saúde quase que irreversíveis.

O dia começa. A correria é uma constante desde o café da manhã. Refeições não são mais efetuadas com o respeito que merecem.

Os alimentos industrializados estão aí, bem à mostra e invadem a mesa. Há um marketing por trás que induz a erros e sobra para a saúde.

Abre-se a geladeira ou a dispensa e o que for mais prático e rápido, será o alimento a ser consumido.

Alimentos Industrializados e Seus Malefícios - alimentospoderosos.blog.br
Alimentos Industrializados e Seus Malefícios

Alimentos industrializados peca pelo exagero

Conscientização é a palavra de ordem para que os alimentos industrializados e seus malefícios sejam lembrados. Novos hábitos precisam ser reintroduzidos na alimentação, antes que seja tarde demais.

Consumo exagerado de alimentos industrializados não vai dar certo. O entendimento do consumidor nem sempre é claro diante de tantos termos técnicos que estão rotulados nos produtos.

Uma engenharia de alimentos até passa informações ao consumidor mais esclarecedoras, mas não esqueça que os alimentos industrializados não substituirão jamais os alimentos naturais.

O que comemos deve ser levado em conta

Mesmo que os alimentos orgânicos ganhem espaço, fica quase impossível viver sem produtos industrializados no dia a dia. Os rótulos dos produtos confundem.  Já ouviu falar em benzoato de sódio, em fosfato tricálcico e citrato de sódio? Pois é…

Para entendermos os alimentos industrializados e seus malefícios é importante que se conheça esses ingredientes que estão presentes sem cerimônia na culinária.

A saúde está em jogo todos os dias. O consumidor está à mercê de pesquisas científicas e estratégias de marketing enganosas.

Alguns alimentos que deveriam ser evitados:

  • Nuggets de frango contém mais de 50% de gordura e quantidade absurda de carboidrato;
  • Refrigerantes cheios de calorias vazias, sem esquecer que uma lata de refrigerante contém 9 colheres de açúcar, além de viciar. Ativam células cancerosas e enfraquecem o sistema imunológico;
  • Salsichas e carnes processadas contem toneladas de sal, nitrato de sódio e outros conservantes, aromatizantes artificiais e enchimentos baratos sem valor nutricional;
  • Biscoitos e bolos só possuem açúcares e gorduras trans;
  • Cereais matinais possuem quantidade alta de açúcares e os nutrientes são adicionados artificialmente- com riscos de câncer;
  • Barras de cereal é um mito de boa saúde, pois está cheio de açúcar, gorduras trans e sódio;
  • Molhos pré prontos para saladas possui grandes quantidades de açúcares, dão consistência e sabor aos produtos gorduras trans e aditivos. Salada saudável em cinco minutos vira uma bomba calórica.

Aditivos consumir ou evitar, eis a questão!

Que susto! A geladeira tem mais alimentos industrializados do que naturais. Cardápios pragmáticos, a preferência pelos alimentos industrializados avança e ganha o mercado. A saúde está sendo sabotada.

Praticidade gera um consumo maior de aditivos químicos, gordura vegetal, estabilizantes e conservantes para que se mantenha o aroma, o sabor e a conservação dos alimentos.

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA há aproximadamente 350 aditivos autorizados para o uso industrial nos alimentos. Esses aditivos são defendidos pelas indústrias para aumentar a durabilidade no mercado, melhorar a aparência e evitar reações do meio ambiente, das bactérias e ajudar na aceleração industrial.

Perigos à vista: alimentos industrializados

Provoca obesidade, doenças cardíacas, câncer, aumento da pressão arterial e a diabetes, entre outros.

Alimentos industrializados e seus malefícios são óbvios, mas se faz necessário lembrar pelo aumento das doenças. Açúcares levam resistência à insulina. Calóricos, aumentam triglicérides. Elevam o mau colesterol e aceleram a gordura no fígado e na cavidade abdominal.

Alimentos industrializados são pobres em nutrientes. Quanto mais alimentos processados menos vitaminas, minerais, antioxidantes e nutrientes o organismo irá adquirir.

Alimentos processados são elevados em gorduras insalubres, contém gorduras baratas, sementes refinadas e óleos vegetais (óleo de soja) que são muitas vezes hidrogenados, o que os transforma em gorduras trans. Quantidades excessivas de ácidos graxos, ômega 6 podem conduzir à oxidação e inflamação no corpo.

Aditivos, pra que te quero?

Antioxidantes evitam que os alimentos entrem no estado de deterioração, mas afetam o trato gastrointestinal.

Acidulantes são substâncias que intensificam o gosto ácido dos alimentos com redução do PH e evitam o crescimento de agentes microbiológicos dos alimentos. Levam a descalcificação óssea e dos dentes. Os mais usados: ácido acético, fosfórico e cítrico.

Ácido acético é usado no controle das microbactérias, como aromatizantes e redução do PH dos alimentos; ácido cítrico é solúvel em água atuando como agente neutralizante de paladar doce. É usado para mascarar o gosto desagradável da sacarina, possui ação quelante e é usado para cura de carnes; ácido fosfórico é muito utilizado na fabricação de refrigerantes à base de cola e com suco de frutas.

Vilões adocicados, cheirosos, coloridos, apetitosos e cheios de ‘charme’ com siglas duvidosas

Adoçantes foram criados para substituir o açúcar. Utilizado por pessoas diabéticas ou que fazem dieta para emagrecer. Alimentos com adoçantes possuem substâncias artificiais que prejudicam a saúde pela quantidade de sódio e complica para hipertensos e doentes renais.

Aromatizantes ou flavorizantes reforçam o sabor dos alimentos. Nocivos, comprometem o organismo.

Corantes podem ser naturais: cúrcuma e clorofila, ou artificiais como tartrazina que nos rótulos vem com a sigla E102 e costuma ser usado em refrigerantes e doces para dar cor e sabor.

A siglas INS 466 são espessantes, empregados para engrossar e dar consistência a caldos e torna geleias e cremes apetitosos.

O mais vilão são os conservantes. Possuem ação bactericida e o câncer sente-se em casa. Possuem benzoato de sódio e ácido sórbico  que agem para evitar a ação de micro-organismos que deterioram os alimentos.

Umectantes impedem o ressecamento dos alimentos e os antiumectantes evitam a absorção de umidade.

Establilizantes impedem que os diferentes ingredientes se separem.

Edulcorantes usados nos produtos dietéticos em substituição ao açúcar.

Aditivos trazem hipoglicemia, diarreia, diabetes, candidíase, alergias e até distúrbios no comportamento.

Alimentos industrializados e seus malefícios reafirmam que toda alimentação para se tornar saudável deverá ser de forma in natura, de preferência sem agrotóxico.

Equilíbrio entre qualidade e quantidade

Não podemos condenar todos os aditivos. A relação qualidade e quantidade é uma questão que deve ser levada em conta. A ciência de alimentos avalia os níveis de utilização para não prejudicar a saúde.

O sal de cozinha é o NaCI, usado na alimentação pode colaborar como um fator nocivo para a hipertensão. Nada em excesso é bom. Ate água se tomar 20 litros por dia provocará danos à saúde.

Órgãos internacionais como o Food and Drug Administration (FDA) e a Organização Mundial da Saúde (OMS), realizam pesquisas com os aditivos alimentares, aceleram o avanço da ciência de alimentos para avaliar de forma segura, o que faz mal e até onde podemos usar tais aditivos.

O maior problema dos aditivos é que são efeitos cumulativos e danosos. Um exemplo é o caso do nitrato que no estômago pode se transformar em nitritos. O nitrito faz uma parceria com a amina (presente no organismo) e forma as nitrosaminas que são potencialmente cancerígenas.

Os nitratos são encontrados em conservantes de alimentos como os embutidos e utilizados também para dar cor vermelha a carnes.

Alimentos industrializados e seus malefícios para a saúde em permanente estudo

Alimentos Industrializados e Seus Malefícios - alimentospoderosos.blog.br

O caminho mais rápido é uma comida quase pronta e industrializada. Tudo errado! Importante diferenciar se alimentar de matar a fome.

A ciência dos alimentos não é exata e está sempre em evolução. Hoje o azeite é a oitava maravilha, mas já foi considerado o grande vilão da cozinha.

Sacarina já foi crucificada. Hoje dizem ser esse tipo de adoçante artificial o ideal, além de inibir o câncer.

Ovos já foram vilões. Hoje, pesquisas apontam como alimento rico e saudável desde que não esteja acompanhado de óleo.

Alimentos naturais e orgânicos também podem oferecer risco à saúde. Se não houver cuidados na produção e no armazenamento até chegar no consumo final, pode haver contaminação microbiológica e uma possível e conseqüente intoxicação alimentar.

Rixa entre comida industrial e comida caseira não adianta. Essas duas áreas caminham de mãos dadas e precisam trabalhar juntas. Quando o assunto é alimento industrial o ideal é controlar seu consumo, diversificando ao máximo a dieta com produtos naturais.

A melhor recomendação é a de equilibrar a alimentação. Qualquer excesso de produtos industrializados vai predispor a ocorrências de distúrbios na saúde.

Consuma mais alimentos in natura e prepare pratos coloridos com legumes, frutas e verduras. Prevenção é o caminho.

Cuide-se!

Alimentos Industrializados e Seus Malefícios (Vídeo)

Gostou do artigo? Leia também:

Alimentos industrializados e seus malefícios
5 (100%) 1 vote




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *