Categorias
Uncategorized

Alfavaca – Para que serve?

Outros nomes: basilicão, manjericão de folha-larga, manjericão dos
cozinheiros, remédio de vaqueiro
Nome científico: Ocimum basilicum L.
Família: Labiatae

Uso popular: Infecções bacterianas externa

Parte usada: Folhas frescas

Modo de usar: Sumo: passar no local quatro vezes por dia até cicatrizar.

Uso popular: Problemas respiratórios, gripes, resfriados e tosse
Parte usada: Folhas frescas
Modo de usar:
Xarope: preparar meio litro de xarope
e adicionar uma xícara de (chá) de
sumo de alfavaca no xarope frio.

Uso popular: Febre
Parte usada: Folhas secas
Infusão: preparar o chá com uma xícara de (café) de folhas picadas de alfavaca em meio litro de agua. Tomar uma xícara de chá de três em três horas.

Uso popular Gases intestinais

Parte usada: Folhas secas
Infusão: preparar o chá com uma xícara de (café) de folhas picadas de alfavaca em meio litro de agua. Tomar uma xícara de chá antes das refeições.

Categorias
Uncategorized

Alface – Para que serve?

Uso popular: Insônia

Parte usada: Folhas frescas

Modo de usar: Ingerir em forma de salada, comer à
vontade durante as refeições.
Batidas no liquidificador com leite
morno antes de deitar.

Uso popular: Insônia

Parte usada: Raiz

Modo de usar: Decocção: preparar o chá com uma
xícara (café) da raiz picada em meio
litro de água. Tomar uma xícara (chá)
de oito em oito horas.

Uso popular: Tosse noturna

Parte usada: Folhas frescas

Modo de usar:
Infusão: preparar com duas colheres
de (sopa) de folhas picadas em uma
xícara de agua, adoçar com mel e
tomar de três a quatro vezes ao dia.

Categorias
Uncategorized

Agrião do Norte – Para que serve?

Outros nomes: jambú, agrião do Brasil
Nome científico: Spilanthus oleracea L.
Família: Asteraceae

Uso popular: Dor de dente (anestésico, alivia a dor)
Parte usada: Flores frescas
Modo de usar: Mastigar sem engolir duas a três flores
sobre o local dolorido. Repetir quando
necessário. Extrair o suco da flor com
um pouco de álcool com o auxílio de
um pilão, pingar quatro gotas no dente
cariado quando necessário

Uso popular: Anemia, má digestão
Parte usada: Folhas e flores frescas
Modo de usar: Xarope – ferve em 400 ml de água,
100g de planta e 900 g de açúcar, tomar de 3 a 4 colheres (sopa) por dia.

Categorias
Uncategorized

Agrião – Para que serve?

Outros nomes: Agrião d’ água
Nome científico: Nasturtium officnale R.Br.
Família: Cruciferae

Uso popular: Tosse, catarro no peito, bronquite
Parte usada: Folhas e talos frescos.
Modo de usar: Tosse, catarro no peito, bronquite
Xarope: preparar meio litro de xarope
e adicionar quatro xícaras (café) do
suco de agrião bem forte.
Tomar uma colher (sopa) de
três em três horas.

Uso popular: Fraqueza (anemia)

Parte usada: Folhas e talos frescos

Modo de usar: Ingerir em forma de salada à vontade

Categorias
Uncategorized

Acariçoba- para que serve?

Outros nomes: cariçoba, erva-capitão, barborosa, londagem, poncaga
Nome científico:
Hydrocotyle bonariensis Lam.
Família: Umbelliferae

Uso popular
Remoção de pintas ou sardas.
Diurético, anti-reumático, problemas de rins e fígado
Rizomas.
Parte usada: Planta toda

Modo de usar
Sumo: triturar a planta, coar o líquido
e passar com um chumaço de algodão
no local a ser removido.

Decocção: Colocar dez gramas de um
rizoma em um litro de agua e deixar
ferver por três minutos, esfriar e tomar
três xícaras de chá durante o dia.

Categorias
Uncategorized

Tanchagem – Para que serve?

Nome científico: Plantago major L.
Nome popular: tanchagem, tansagem,
transagem.
Parte utilizada: folhas
Constituintes principais:
flavonoides, iridoides, taninos, mucilagem.
Indicações
Uso interno: cicatrizante, ajuda a combater problemas gastrointestinais, expectorante
para infecções de vias respiratórias e protetor de mucosa.
Uso externo: anti-inflamatório e antisséptico da cavidade oral, auxilia no tratamento da
dor de garganta e aftas e pode ser usado para banho de assento. As folhas na forma
de cataplasma podem ser aplicadas sobre picada de insetos, feridas e queimaduras.
Posologia e forma de preparo
Uso interno: Infusão – 2 colheres de sopa (6 g) de folhas secas para 1 xícara de chá
(150 mL) de água. Tampar e esperar pelo menos 15 minutos. Para infecções
bucofaríngeas: tomar a cada 6 horas. Para problemas gastrointestinais: tomar a cada 8
horas
Uso externo: Cataplasma – folhas frescas são amassadas ou trituradas vigorosamente
e aplicadas diretamente sobre a lesão, 3 vezes ao dia.
Infusão: 2 a 3 colheres de sopa de folhas (6 g a 9 g) para 1 xícara de chá (150 mL) de
água, após higienização aplicar a compressa no local afetado ou realizar bochecho, 3
vezes ao dia.
Cuidados: Seu uso é contraindicado para gestantes e lactantes, pacientes com obstrução
intestinal e pacientes com hipotensão arterial. Não engolir o produto após o bochecho e
gargarejo.

Categorias
Uncategorized

Sálvia – Para que serve?

Nome científico: Salvia officinalis L.
Nomes populares: sálvia, salva,
salva-das-boticas.
Parte utilizada: folhas.
Componentes principais: taninos tipo catequina
(condensados), ácidos fenólicos, flavonoides, óleos essenciais (tujona, cânfora, cineol,
humuleno, alfa-pineno), diterpenóides amargos, triterpenoides, mucilagem e resina.
Indicações
Uso interno: Antisséptica, infecções das vias respiratórias, tosse, rouquidão e
estomatite, faringite e aftas. Dispepsias, anti-inflamatória, antioxidante e estrogênica,
indicada na síndrome do climatério, irregularidades menstruais e supressão da
lactação. Estimula o apetite e estudos comprovam melhorar a memória em idosos.
Uso externo: Antisséptica, infecções das vias respiratórias, tosse, rouquidão e
estomatite, faringite e aftas. Cicatrizante, anti-inflamatória e diminui a transpiração
(indicada em sudorese de extremidades e enfermidades que causam sudorese) e
salivação excessiva.
Posologia e forma de preparo
Uso interno: Infusão -1 colher de sopa (3 g) de folhas para 1 xícara de chá (150 mL)
de água. Acima de 12 anos: tomar 2 a 3 vezes ao dia, após as refeições.
Uso externo: Infusão – 1 colher de sopa (3 g) de folhas para 1 xícara de chá (150 mL)
de água, após higienização aplicar a compressa no local afetado ou realizar bochecho,
3 vezes ao dia.
Cuidados: Segura em doses terapêuticas. Em doses acima da recomendada pode causar
convulsões pela presença de tujona e cânfora, pode potencializar efeitos sedativos
(barbitúricos e benzodiazepínicos) e interferir na atividade se associada a hipoglicemiantes e
anticonvulsivantes. Evitar o uso na gravidez, lactação, insuficiência renal, epilepsia e
tumores estrógeno–dependentes. Pode causar irritação tópica em pacientes sensíveis.

Categorias
Uncategorized

Pitangueira – Para que serve?

Nome científico: Eugenia uniflora L.
Nomes populares: pitanga, cereja do
Suriname, nangapiri.
Parte utilizada: folhas.
Constituintes principais: taninos, flavonoides,
óleos voláteis (eugenol) e ácidos fenólicos.
Indicações
Uso interno: antioxidante, diurética, digestiva, antidiarreica.
Uso externo: atividade antimicrobiana para feridas e gargarejos.
Posologia e forma de preparo
Uso interno: Infusão – 10 g de folhas secas para 1 litro de água, tomar 2 a 3
xícaras de chá (150 mL) ao dia, após refeições.
Uso externo: Decocção – 10 folhas para 1 litro de água. Para feridas: esfriar e
deixar em contato com as feridas (banho ou compressa) por 20 minutos
(mínimo), utilizar 1 a 2 vezes ao dia. Para gargarejo: utilizar 2 a 3 vezes ao dia.
Cuidados: O uso interno é contraindicado para grávidas, lactantes, crianças de 3
anos e não deve ser utilizado por mais de 30 dias. O uso externo não deve ser
utilizado por grávidas e lactantes com lesões extensas e graves.

Categorias
Uncategorized

Malvarisco – Para que serve?

Nome científico: Plectranthus amboinicus
(Lour.) Sprengle
Nomes populares: Hortelã-da-folha-gorda,
Hortelã-da-folha-grande, malvariço.
Parte utilizada: folhas frescas.
Constituintes principais: mucilagens,
óleo volátil (rico em timol e carvacrol), flavonoides e ácidos triterpênicos.
Indicações
Uso interno: contra gripe, problemas respiratórios, inflamações de boca e
garganta.
Posologia e forma de preparo
Uso interno: Xarope caseiro: 30 folhas frescas de malvarisco lavadas e
picadas e 1 xicara de chá (170 g) de açúcar. Em uma panela de vidro, inox ou
esmaltada, intercalar com camadas de açúcar e folhas, começando com o
açúcar. Observação: não vai água! Colocar em banho-maria por 40 minutos,
tampado. Coar e tomar. De 2 a 6 anos, tomar 1 colher de chá (5 mL) do xarope
3 vezes ao dia. De 7 a 12 anos, tomar 1 colher de sobremesa (10 mL) do
xarope 3 vezes ao dia. Acima de 12 anos, tomar 1 colher de sopa (15 mL) do
xarope 3 vezes ao dia.
Cuidados: Não há relatos de contraindicações.

Categorias
Uncategorized

Goiabeira – Para que serve?

Nome científico: Psidium guajava L.
Nomes populares: goiabeira, guajava,
guayaba, guava.
Partes utilizadas: folhas, cascas, frutos.
Constituintes principais:
Folhas: taninos, óleos voláteis (cariofileno, nerolidiol),
flavonoides, ácidos (ursólico, catecólico, elágico) e triterpenóides.
Casca: taninos.
Frutos: ácidos orgânicos (ácido ascórbico), polifenóis, taninos, saponinas, pectinas.
Indicações
Uso interno: Folhas, cascas e frutos verdes possuem ação antidiarreica e
antioxidante; frutos maduros possuem ação espasmolítica (diminuem cólicas
intestinais) e digestória.
Uso externo: Folhas, cascas e frutos verdes possuem atividade antimicrobiana e antiinflamatória para feridas e gargarejos.
Posologia e forma de preparo.

Uso interno: Infusão – 3 a 4 brotos (cada um possui em torno de 2-3 folhas jovens) em
1 xícara de chá (150 mL) de água, tampar e após amornar tomar 50 mL para casos de
diarreia não infecciosa. Observar. Se necessário, administrar mais 50 mL após 4 horas.
Uso externo: Decocção – 10 folhas fervidas para 1 litro de água, por 2 ou 3 minutos.
Para feridas: esfriar e deixar em contato com as feridas (banho ou compressa) por 20
minutos (mínimo), utilizar 1 a 2 vezes ao dia. Para gargarejo: utilizar 2 a 3 vezes ao dia.
Cuidados: O uso interno é contraindicado para grávidas, lactantes, crianças de 3 anos e
não deve ser utilizado por mais de 30 dias ou em caso de diarreia infecciosa. O uso externo
não deve ser utilizado por grávidas e lactantes com lesões extensas e graves.